Agora, todo mundo está com pressa

Estou preocupado com essa proposta de plebiscito para tratar da reforma política. Acredito que a reforma seja muito delicada e importante para ser realizada através de um plebiscito feito a “toque de caixa”.

A reforma política envolve temas como coligações partidárias em eleições proporcionais, a realização de todas as eleições em uma única data, a alteração da data de posse de presidentes, prefeitos e governadores, a participação popular na proposição de projetos de lei e emendas constitucionais, o voto distrital, as candidaturas autônomas, a limitação para criação de partidos, a composição legislativa federal e estaduais, e mais outros temas que não me lembro agora.

A discussão sobre a reforma não é algo tão simples como estão querendo fazer parecer. Submeter tal tema a consulta pública pode gerar na população a falsa impressão que o legislativo estaria obrigado a atendê-la em 100% de sua vontade. Até isso é incerto, como vários juristas já sinalizaram.

Aliás, esse é um sinal de alerta importante: muitos juristas demonstraram preocupação quanto à eficácia dessa medida e da desmedida pressa que tomou conta do Executivo para aponta-la como a opção de resposta à demanda do povo expressa nas ruas. O que os brasileiros querem é que a reforma seja pensada e executada de forma prioritária e não açodadamente, sem discussão e entendimento claro sobre o assunto.

Quem tiver tranquilidade absoluta para discutir esse assunto e defender as soluções para cada um dos pontos da reforma, levante a mão. Não estou perguntando sobre ter uma opinião sobre o assunto de forma genérica, pergunto sobre a possibilidade de debater e esclarecer cada ponto que gere discussão, com a possibilidade de argumentar e convencer as partes discordantes.

Sugiro que façam um experiência, escolha 3 temas e debata com um grupo de 4 pessoas, buscando chegar a um consenso sobre cada um deles. Lembrando que consenso implica em todos concordarem com a solução proposta.

Sei que a reforma política é urgente e necessária, mas será que esse é o momento certo e promover um plebiscito é a forma correta de debater o tema com a população? Muitos dirão que temos de aproveitar a oportunidade e fazer o que é possível agora, para não perdermos a chance que está sendo dada ao povo para decidir o que deseja reformar.

Será? Ainda tenho muitas dúvidas!

De qualquer forma é hora de debatermos o tema e aprendermos com as diferenças.

Qual a sua opinião? Debata aqui!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s